Independência-do-Brasil

A independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes.

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta de Lisboa, capital de Portugal. Nesta carta, os reis exigiam o retorno de D. Pedro I. Há tempos os portugueses insistiam nesta ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico. ” Este dia ficou conhecido como o Dia do Fico.

Após o Dia do Fico, D. Pedro Tomou uma série de medidas que Desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem o “cumpra-se”, ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil conclamava o povo a lutar pela independência.

Enquanto D. Pedro viajava para Minas Gerais, ele recebeu uma carta de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole. Na ocasião, ele ainda não tinha chegado em Minas Gerais, e sim nas margens do riacho do Ipiranga, em São Paulo. Neste local, ele levantou a espada e gritou: “Independência ou Morte! ”. Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro foi declarado imperador do Brasil.

Independência-do-Brasil II